quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Be safe, be strong



Bernardo chegou!

Com 3,550 Kg, 49 cm e uma choradeira tamanha, chegou no mundo o meu Hobbit. Minha coisinha cabeluda e gordinha, trazendo junto com seus belos olhos acinzentados, um mundo melhor, um mundo novo cheio de esperança e amor. Mas também cheio de medos e inseguranças, o novo que assusta, as noites em claro e a nova e cansativa rotina.

Um sentimento gratificante que é se tornar mãe. Nove meses de uma ligação única e exclusiva. A total dependência, uma vida gerada dentro de você, fazendo a natureza se engrandecer cada dia mais, cada gesto mais. Desde o primeiro sinal de barriguinha, os primeiros movimentos, os chutes, o coração e as longas conversas sobre tudo que o aguardava aqui do lado de fora.

Nascer um bebê, uma nova vida, faz também renascer em você a criança, a infância boa cheia de doces e brincadeiras, as boas descobertas, os medos e os anseios de crescer. Faz nascer uma nova mulher, que ama incondicionalmente pela primeira vez na sua vida. Faz outros amores ficarem subjetivo demais. Nada é capaz de ser mais bonito, mais amado, mais protegido e mais cheio de dobrinhas gostosas que você tem vontade de morder.

Junto com o amor, vem o medo. Antes tudo era tão mais fácil, menos importante, e agora é como se tudo fosse capaz de atingi-lo. Você se torna uma verdadeira leoa, nada nem ninguém vai se aproximar dele para fazer mal. Mas no fundo você sabe que não poderá protege-lo de tudo nem de todos, pois você mesma passou por tanta coisa que seus pais não puderam, e não deviam mesmo, impedir. Agora é a vez dele.

Lembre-se: vocês sempre serão um só. Independente da distância, do tempo e da vontade do Universo. 

Ser mãe é tão pleno e cansativo ao mesmo tempo, que não cabe em palavras, prosas, textos ou poesias rimadas. São sentimentos incapazes de formar frases com sentido. Inexplicável. Só o olhos dele me bastam.

Um dia, eu espero, você vai ler isso, meu filho. Vai perceber o quanto foi, e é, querido, amado, desejado por todos da sua família, mas principalmente pela sua, hoje jovem, amanhã velha, mãe. E que ainda haja muito o que te contar até lá...
Desejo à você que o seu mundo seja mais colorido, que seus passos sejam leves e que sua cabeça saiba flutuar entre a tênue linha do lúdico e do real.

Lembre-se: Aqueles que nos amam nunca nos deixam de verdade.

Hoje e para sempre mãe e feliz,

Maya Costa


Um comentário:

  1. Lindo May!! Parabéns! Nada como descrever um sentimento indescritível.. Amei!

    ResponderExcluir